SÍNDROME DO JUSTICEIRO

Definição. A síndrome do justiceiro é uma patologia comportamental e consiste em um conjunto de sinais e sintomas que resultam em comportamentos e reações pensênicas desequilibrados frente a situações que a consciência percebe como injustas, intra e extrafisicamente.

Sinonímia: 1. Indignação patológica. 2. Transtorno pensênico. 3. Vontade de vingança. 4. Fazer justiça com as próprias mãos. 5. Revolta passional. 6. Revolta apriorista. 7. Fanatismo beligerante. 8. Práxis da Lei do Talião. 9. Partidarismo egóico.

Antonímia: 1. Eutimia; serenidade. 2. Resiliência cosmoética. 3. Análise-síntese homeostática. 4. Inconformismo cosmético. 5. Salva-vidas; defensor; protetor. 6. Mediador; conciliador. 7. Justiça; direito; equanimidade. 8. Diplomacia. 9. Conformismo; murismo; apatia pensênica.

Síndrome. Na medicina o termo síndrome é utilizado para designar o conjunto de sinais e de sintomas observáveis em vários processos patológicos diferentes e sem causa específica. In casu, se optou por utilizar o termo síndrome pois o estado psicológico peculiar que se pretende estudar acomete a inúmeros indivíduos, mas decorre de gêneses diversas.

Justiça. A palavra justiça, vem do idioma Latim, justitia, significa eqüidade, o que é justo; justeza, exatidão (do peso); bondade, benignidade; direito escrito, leis; poder judiciário.

O processamento idiossincrásico dos portadores da SJ pressupõe uma tendência sistêmica de interpretação distorcida dos conflitos humanos e do conceito de justiça.

Taxologia. Há várias nuances de manifestação da síndrome do justiceiro. Há pessoas que cometem genocídios em nome de uma causa e aquelas que padecem caladas de seus arrebatamentos pensênicos. A classificação das espécies de justiceiros é didática e necessária.

Quanto à intencionalidade há justiceiros que podem ser classificados como:

  1. Bem intencionados.
  2. Mal intencionados.

Quanto aos interesses defendidos:

  1. Próprios.
  2. De terceiros.

A síndrome do  justiceiro coloca  uma  barreira  na vivência da desperticidade e do paradireito,  aborta  proéxis, gera  interprisões  grupocármicas  e  fatalmente  conduz  o  portador  ao  estado  de  melex.

Há uma notória tendência de pessoas com síndrome do justiceiro exercerem as seguintes profissões e terem as respectivas motivações, excluindo-se obviamente a financeira:

01. Advogado: defender e fazer justiça.

02. Bombeiro: salvar o mundo, mesmo que isto signifique rotineiramente colocar a vida em risco.

03. Delegado: portar arma e ter autoridade para investigar, prender e colocar ordem na comunidade.

04. Fiscal: vigiar, alertar e multar os faltosos com sua obrigações legais.

05. Juiz: decidir litígios, condenar e fazer justiça.

06. Policial: portar arma, perseguir, prender e coibir foras-da-lei.

07. Promotor: investigar e acusar criminosos.

08. Soldado: salvar a pátria e guerrear.

No atual estágio em que se encontra o planeta Terra ainda são necessárias as referidas profissões para a segurança e harmonia social. O exercício de tais profissões com discernimento e cosmoética perfaz-se em notória oportunidade assistencial. Mas não se pode olvidar que são profissões de natureza bélica, e que se não exercidas com discernimento e cosmoética são potencialmente geradoras de interprisões grupocármicas.

Seguem abaixo listadas 3 técnicas que contribuem para a promoção do equilíbrio pensênico necessário para a remissão da condição da síndrome do justiceiro:

1.   Desenvolvimento da erudição: grande parte dos julgamentos injustos ocorre por ignorância. O indivíduo erudito erra menos pois tem mais informação, é mais pontual nas suas abordagens e interpretações. A erudição é um dos caminhos para desenvolver-se/aprimorar-se o discernimento.

2. Técnica das autojustificativas associativas: estudar e associar argumentos e fatos lógicos para a autodemonstração da ilogicidade do destempero de comportamentos e pensenes justiceiros. Pensamentos automáticos disfuncionais podem ser eliminados com a autoconscientização de crenças centrais distorcidas.

3. Técnica do comedimento: na dúvida abstenha-se. Evitar rompantes e a montanha russa comportamental vivenciada por alguns portadores da síndrome do justiceiro contribui para manter-se a retilinearidade dos próprios pensenes. Nada mais é do que o exercício diário do comedimento.

OBS: estes são fragmentos do livro que estou desenvolvendo sobre Síndrome do Justiceiro. Agradeço muitíssimo o envio de críticas sobre o texto ou idéias correlatas sobre o tema.  Aguardo suas contribuições.

Anúncios

Deixe um comentário

Arquivado em Conscienciologia

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

w

Conectando a %s